sexta-feira, julho 21, 2017

A igreja é o lugar

para quem que foi tocado pelo cordeiro Cristo. Olha o vídeo desta semana aqui!

terça-feira, julho 18, 2017

Ouvir

O sermão de Domingo passado, chamado "Levar a igreja a sério é saber que na hora de dar tudo, Jesus não poupou nada", pode ser ouvido aqui.

quinta-feira, julho 13, 2017

Este é o melhor vídeo até agora

Porque estou acompanhado dos dois primeiros bebés que com a Ana Rute fiz para a glória de Deus. Se liga!

quarta-feira, julho 12, 2017

Ouvir

Nem sempre dá para pregar sobre barbudos malucos que salivam como animais. Neste sermão deu.

quinta-feira, julho 06, 2017

Olha o careca a pregar!

Mas não façam pouco porque da última vez que gozaram de um careca na Bíblia a coisa acabou mal.

quarta-feira, julho 05, 2017

Pastores que são Papas

Já noutras ocasiões escrevi sobre a dificuldade que as Igrejas Baptistas têm em Portugal de cumprir a realidade bíblica do pastorado colectivo. Não me entendam mal nesta observação: uma boa parte dos pastores baptistas tem feito neste país um trabalho que chega a ser heróico, no meio de recursos bem escassos. Pensando sobretudo nas décadas anteriores, a minha crítica não serve para ajustar contas com homens que não tiveram a papinha feita como muitos de nós hoje temos. Há dez anos, quando eu e um pequeno grupo demos início à Igreja Baptista de S. Domingos de Benfica, lembro-me bem do que era eu ter de ser pau para toda a obra. Era pastor-faz-tudo e não tinha grande alternativa. Não é acerca disto que falo.

Falo acerca de, independentemente das dificuldades do presente, acreditar que a realidade pastoral deve ser colectiva e trabalhar seriamente para isso. E também insisto porque, na nossa própria experiência, foi esse o caminho que decidimos fazer ainda quando a igreja nem a mim conseguia sustentar totalmente. O que desempatou não foram os recursos da igreja mas a convicção que ela tinha que era necessário sustentar totalmente a família do pastor que presidia, e ter logo ao início um presbitério (naturalmente colectivo). Foi uma decisão dupla tomada quando éramos apenas doze membros e a igreja não tinha mais de 500 euros para me dar mensalmente. A questão não é o que se tem mas o que se quer ter.

O que nos impede então de irmos mais longe? Creio que existe nos pastores baptistas portugueses um síndrome de auto-suficiência pastoral que raia o messianismo. O Mark Bustrum, outro dos pastores da Igreja da Lapa que como o nome indica é norte-americano, disse que quando chegou a Portugal reparou que, se por um lado os evangélicos aqui são muito anti-católicos, por outro em cada Igreja Baptista o pastor funciona como mini-Papa. Tudo na vida da igreja tende a estar centralizado na figura do pastor como se não houvesse acção divina realmente sólida além dele. Somos a favor do sacerdócio universal desde que haja centralização pastoral - não faz sentido. E digo isto como culpado. Ainda há um ano quase tudo passava por mim na Lapa (ouçam o sermão de Domingo passado para perceberem como).

Para isto contribuem muitas razões e só ofereço duas, que são praticamente opostas entre si. A primeira é uma grande necessidade de aprovação pessoal que muitos pastores têm, não se apercebendo que se comportam em função de quererem ser apreciados em todo o centímetro de actividade da igreja. A segunda é um resquício de territorialismo episcopal lusitano à Igreja Católica Romana - cada paróquia, um padre. Haverá muitas mais mas estas parecem-me óbvias.

Estas notas não devem soar como desculpa para a desvalorização da função pastoral - elas servem mesmo para o oposto. A ironia é que o ofício pastoral será tão mais respeitado quanto toda a igreja reconheça que aqueles que o desempenham o fazem segura e liberalmente confiando numa maior horizontalidade das suas funções. Graças a Deus pelos cristãos de outros países que nos ajudam a perceber melhor os erros do nosso.


 

terça-feira, julho 04, 2017

Ouvir

O sermão de Domingo passado, que fala no paradoxal facto de ser necessária a alegria para chorar boas lágrimas, pode ser ouvido aqui.

segunda-feira, julho 03, 2017

Que fixe

estar incluído numa lista destas, ao lado do Fachada, dos Pontos Negros, dos Chibazqui e dos Deolinda!